A Copa Petrobras de Marcas veio em 2011 para colocar na pista a competitividade já existente no mercado entre as montadoras com seus sedãs médios. As boas disputas credenciaram a categoria, atraíram pilotos e equipes de alto nível, que colocaram o maior campeonato multimarcas do país entre os principais campeonatos do automobilismo nacional.

O formato, pouquíssimo alterado desde seu início em 2011, consiste em um calendário de oito etapas em sistema de rodadas duplas (duas corridas por etapa), que em 2016 tem seu início no Velopark no dia 6 de março e término em Interlagos no dia 11 de dezembro, passando por Goiânia, Santa Cruz do Sul, Tarumã, Brasília e pelo novo autódromo de Curvelo, em Minas Gerais.

Cinco montadoras tentam mostrar dentro da pista qual preparou o melhor carro: Ford (Focus Sedan), Honda (Civic), Toyota (Corolla), Chevrolet (Cruze) e a Renault (Fluence), que estreou em 2015.

As Regras

O regulamento permanece o mesmo. Na primeira rodada dupla, todos os carros correm sem peso extra, que passa a ser adicionado na segunda corrida da primeira etapa aos oito primeiros colocados da tabela de classificação do campeonato, na seguinte ordem: 80 quilos ao líder, 70 para o segundo colocado, 60 para o terceiro, 50 para o quarto e assim em diante, de dez em dez quilos, até o oitavo colocado. A redistribuição dos lastros acontece prova a prova e seu peso não é acumulativo. Na oitava e última rodada dupla, os carros correm sem lastro algum.

O sistema de pontuação traz mais dinamismo à competição. Após o encerramento de cada prova, cuja duração é de 30 minutos mais uma volta, pilotos e equipes que cruzarem a linha de chegada receberão a pontuação na seguinte ordem: 23 pontos ao primeiro colocado, 20 para o segundo e 18 para o terceiro; o quarto colocado soma 16, o quinto 14, o sexto 12 e o sétimo 10. Do oitavo colocado até o 15º, a pontuação decresce de um em um ponto, de oito (para o oitavo) até um (para o 15º).

 

Na última rodada dupla a pontuação é diferenciada: 35 pontos para o vencedor, 30 para o segundo, 27 para o terceiro, 24 para o quarto, 21 para o quinto, 18 para o sexto, 15 para o sétimo, 12 para o oitavo, 11 para o nono, nove para o décimo, oito para o 11o , seis para o 12o, cinco para o 13o, três para o 14o e dois para o 15o. 

Para pontuar em uma corrida, o piloto terá que cumprir o mínimo de 75% da duração da prova. A pontuação é a mesma para as duas corridas do mesmo final de semana. O grid de largada da segunda prova do fim de semana em uma rodada dupla obedece ao resultado da disputa inicial, com os oito primeiros colocados largando em ordem invertida (o oitavo em primeiro, o sétimo em segundo... Até o vencedor largar em oitavo).

As pontuações valem para os pilotos e para as equipes. Já para a disputa entre as marcas apenas os dois melhores resultados por corrida serão considerados.