NOTÍCIAS

Marcelo Tripa e a tortura do replay

13/05 de 2016 - 11:00

Depois de andar bem, mas perder um terceiro lugar quase certo no Velopark, goiano segue preparação para correr em casa na próxima semana

Marcelo Rocha – ou Marcelo Tripa, como é mais conhecido – fez quatro etapas na Copa Petrobras de Marcas no ano passado e renovou seu vínculo com a Friato Racing Team. E o que se viu na etapa inaugural da temporada no Velopark foi o latente desenvolvimento do piloto goiano. Oitavo colocado na primeira prova, ele largou em primeiro na corrida complementar. Apesar de ter perdido a liderança para o Toyota Corolla de Thiago Marques ainda na primeira curva, o piloto do Ford Focus #199 soube se manter nas posições de topo brigando contra pilotos bem mais experientes.

Segurando bem os adversários, Tripa perdeu o pódio a três curvas da bandeirada: uma escapada no final da reta oposta lhe fez perder o terceiro lugar. Um fato que ainda permanece na sua memória. Mas como estímulo. “Eu vinha num ritmo bom, mas acho que foi mesmo pela falta de experiência que eu cometi um erro bem no final da prova e infelizmente não alcancei um dos maiores sonhos da minha vida. Já vi o vídeo do Velopark umas 200 vezes e em todas elas me dá uma dor imensa no coração quando eu revejo o lance”, lamentou.

A diferença no desempenho do piloto em relação ao ano passado está na preparação. “Eu vim de um campeonato regional, e o nível dos pilotos é bem diferente. Já estou mais adaptado. Ter disputado meia temporada no ano passado me ajudou um pouco, sim. Mas o carro é muito diferente de tudo o que eu já tinha andado até então, e agora já estou bem mais confortável. Fiz algumas corridas nos Estados Unidos com um carro bem semelhante, então para mim está mais tranquilo”, disse.

O piloto realizou uma sessão de treinos com o Focus na pista de Goiânia visando a segunda rodada dupla do ano, que acontece na próxima semana. “Completei cerca de 50 voltas e já conseguimos colocar o carro bem próximo do que tem de ser em termos de acerto e tempo de volta. Então temos fé de que a próxima etapa vai ser bem melhor”, aponta.

Ele justifica: “Eu nunca havia andado no Velopark, e Goiânia é uma pista que eu conheço muito bem. Então por isso mesmo estou bastante ansioso. Tenho no Cesinha (Bonilha) um companheiro de equipe com bastante experiência; fizemos um grande investimento na equipe, então estamos com a esperança de colher bons frutos nesta temporada”, encerrou.