NOTÍCIAS

Maratonistas da velocidade: Três pilotos correrão em duas categorias em Interlagos

09/12 de 2015 - 08:55

Barrichello e Casagrande disputarão três provas, enquanto Rodrigo Baptista participará de quatro corridas

O mítico autódromo de Interlagos, na zona sul de São Paulo, estará recebendo neste final de semana (12 e 13/12) cinco das mais importantes categorias do automobilismo brasileiro: Stock Car, Brasileiro de Marcas, Brasileiro de Turismo, Mercedes-Benz Challenge e Fórmula 3 Brasil.

Com cerca de 130 pilotos de todo o país brigando pela vitória em suas respectivas categorias, pelo menos três tem chances redobradas, justamente por participarem de duas modalidades diferentes. O paranaense Gabriel Casagrande (C2 Team) compete na Stock Car e no Brasileiro de Marcas, a exemplo do ex-piloto de Fórmula 1 Rubens Barrichello (Full Time Sports), e ambos disputarão três corridas em Interlagos, já que nesta etapa final a Stock Car terá apenas uma bateria. Já o novato paulista Rodrigo Baptista (Toyota Bassani) acelera o seu aprendizado fazendo jornada dupla com a Fórmula 3 e o certame que reúne a briga das montadoras Renault, Toyota, Honda, Chevrolet e Ford, participando de quatro provas.

"Eu já me acostumei com esta maratona de quatro corridas em dois dias. Se tivesse condições eu correria também na Stock Car pra fazer seis corridas no final de semana", diverte-se Rodrigo Baptista. "Quem gosta de correr não quer sair do escritório da velocidade", continua o jovem de apenas 19 anos de idade, que faz a sua primeira temporada no automobilismo.

Em sua terceira temporada no Brasileiro de Marcas e na Stock Car, Gabriel Casagrande é quem já fez mais corridas em carros de tração dianteira entre os três, com duas vitórias no ano passado e quatro na atual temporada. Na mais rápida modalidade de carros fechados o paranaense ainda não venceu, mas já é um protagonista andando sistematicamente no grupo dos dez primeiros, ainda com 20 anos de idade. 

Mais experiente dos três, Rubens Barrichello é um profissional do automobilismo e, por isto, não deixa passar as oportunidades que surgem. Depois de vencer corrida e conquistar o título da Stock Car no ano passado, o recordista de participações na Fórmula 1 aceitou o convite da Renault para estrear no Brasileiro de Marcas com 
o Renault Fluence. Ainda não venceu na categoria, mas tem realizado ótimas apresentações e abrilhantado a categoria com o seu carisma.

NOVATO FOI O ÚNICO A VENCER EM DUAS CATEGORIAS

Apesar de ser o mais novo e com menor experiência, Rodrigo Baptista tem o mérito de ter sido o único a ter vencido nas duas categorias em que corre neste seu ano de estreia no automobilismo. Foi vencedor na Fórmula 3 Brasil no Velopark (RS), largando em segundo, e no Brasileiro de Marcas em Goiânia (GO), depois de largar da quinta posição e fazer ultrapassagens ousadas em pilotos muito mais experientes.

"Na Fórmula 3 eu aprendo a pilotar com precisão um carro de tração traseira, aproveitando ao máximo a potência do motor e a tração e estabilidade dos pneus de composto mole. Os pilotos são mais jovens e não tem tanta experiência. Já no Marcas o carro é de tração dianteira, só tem macaco velho correndo, e estou aprendendo muito sobre visão de corrida. Tenho muito orgulho de andar junto e aprender com caras muito bons como o Rubinho (Barrichello), o (Vitor) Meira, o Gabriel (Casagrande), o Thiago Marques, entre outros. E o mais legal é que sinto o respeito que eles têm comigo como alguém que está levando a carreira muito a sério. E muito gratificante", comentou .

"No começo da temporada fiquei com medo de como ia ser correr em duas categorias tão diferentes no mesmo final de semana. No final das contas percebi que fiz a coisa certa, por ganhar mais quilometragem nas pistas, mais largadas, tanto paradas (Fórmula 3) como em movimento (Marcas), e ainda tive a chance de andar junto com os melhores pilotos do Brasil", assume o piloto que corre pela PropCar Racing na F-3 Brasil, e defende a Toyota Bassani na Copa Petrobras de Marcas.

"Para mim acaba sendo vantagem fazer quatro corridas no mesmo final de semana, ainda mais quando é uma pista que nunca andei, como Interlagos, onde nunca cheguei a sair da área de boxes e entrar na pista. Não tenho problema com cansaço, meu preparo físico é excelente, e assim tenho mais tempo andando", afirma o 
piloto de 19 anos