NOTÍCIAS

Jornada trabalhosa

24/09 de 2015 - 10:05

Rodrigo Baptista não largou na primeira prova em Campo Grande (MS), mas na segunda se recuperou

O automobilismo tem destas coisas. Depois de sentir o doce sabor de vencer categoricamente a última prova disputada pela competitiva Copa Petrobras de Marcas, em Goiânia (GO), o estreante Rodrigo Baptista teve o dissabor de sequer largar na corrida de abertura da sexta rodada dupla da categoria, e ainda terminou apenas em 11º no complemento da programação em Campo Grande (MS). 

 

"Não foi o melhor dos finais de semana. No sábado fui para a primeira corrida animado e sequer larguei, com o câmbio quebrado. E hoje (domingo), largando em último, tivemos que arriscar no acerto do carro e ainda andar numa pista muito suja e inconstante. Pelo menos recebi a bandeirada depois de ganhar sete posições", comentou o caçula da categoria, que completou 19 anos de idade durante o final de semana da etapa.

 

Apesar de estar largando apenas da 13ª posição na 11ª etapa da Copa Petrobras, Baptista estava animado. No treino classificatório ele não conseguia reduzir para a segunda marcha, necessária em praticamente todas as curvas do circuito da capital sul-matogrossense, mas o equilíbrio e o motor de seu Corolla estavam muito bons. Com o conserto efetuado para a corrida de sábado, o piloto da Toyota Bassani Racing acreditava que poderia progredir e terminar entre os oito primeiros, para ter uma melhor posição de largada para a finalização da rodada dupla no domingo.

 

"Quando fui alinhar para a largada já percebi que tinha melhorado o engate, mas não estava bom. Então, não teve jeito. Quando fui engatar para a largada, simplesmente não entrava nenhuma marcha. O câmbio estava travado e sequer larguei. Fui rebocado para fora da pista", lamentou o novato, que vinha entusiasmado pela sua primeira vitória na categoria que reúne muitos pilotos experientes e competentes.

 

Desta forma, Baptista teve que largar da 18ª e última posição no domingo, com um novo câmbio. Uma missão muito difícil, pois ele não treinou em Campo Grande com a pista seca e, por isto, a Bassani Racing não tinha referência para acertar o seu Toyota e preferiu colocar o mesmo set up de sua vitória em Goiânia. 

 

"Não tínhamos o que fazer, a não ser arriscar. O meu Corolla só não estava bom nas curvas lentas. A maior dificuldade é que a pista estava muito suja e mudava a cada volta, com as escapadas que outros pilotos davam e voltavam para o asfalto carregando detritos. Então, foi uma nova experiência e bem difícil. Valeu por mais um aprendizado", encerrou.

 

A próxima etapa da Copa Petrobras de Marcas acontece em Curitiba nos dias 17 e 18 de outubro.