NOTÍCIAS

Em ano de estreia, Onze Motorsports briga pelo título do Brasileiro de Marcas

10/11 de 2015 - 11:35

Nonô Figueiredo e Guilherme Salas seguem na briga pelo título de pilotos e equipe tem chances matemáticas na disputa entre equipes

A última etapa da Copa Petrobras de Marcas, marcada para os dias 12 e 13 de dezembro no Autódromo Internacional José Carlos Pace, em Interlagos (SP), promete ser recheada de emoções. Nove pilotos brigam pelo título de 2015, entre eles os dois integrantes da Onze Motorsports, equipe estreante na competição.

No regulamento do campeonato estão previstas algumas mudanças em relação às demais etapas. O chamado “lastro de sucesso” - peso adicionado aos oito primeiros colocados no campeonato - não será utilizado. Além disso, a pontuação também é diferenciada. Ao invés de 23 pontos, o vencedor de cada prova receberá 35 pontos e as demais colocações também terão pontuações alteradas, valendo 30 para o segundo, 27 para o terceiro, 24 para o quarto, 21 para o quinto, 18 para o sexto, 15 para o sétimo, 12 para o oitavo, 11 para o nono,  9 para o décimo, 8 para o décimo primeiro, 6 para o décimo segundo, 5 para o décimo terceiro, 3 para o décimo quarto e 2 para o décimo quinto.

Nonô Figueiredo, que ocupa a terceira posição da classificação com 162 pontos, prefere não fazer contas antes da primeira prova, e concentrar-se nos resultados. “Precisamos vencer a primeira corrida, é isso o que importa no momento para lutarmos pelo título afirma o piloto. Caso isso aconteça, a pontuação dos demais pilotos será determinante, principalmente do líder, Vitor Meira, que chega à etapa final 28 pontos à frente.

Guilherme Salas, por sua vez, ocupa a sexta colocação com 139 pontos e tem remota chance de chegar ao título. Para isso acontecer, o jundiaiense precisaria repetir a façanha de vencer as duas provas da etapa, como fez na quarta rodada dupla, em Curitiba, e torcer para a seguinte combinação de resultados: o líder Vitor Meira não poderia somar mais que 19 pontos na etapa,  o vice-líder Gustavo Martins precisaria conquistar no máximo 46, seu companheiro de equipe Nonô Figueiredo poderia somar até 47 e Vicente Orige um máximo de 48 pontos.

Eu sei que minhas chances de título são remotas, mas vamos disputar até o final. Acho que o trabalho até aqui foi muito bom, já que é o ano de estreia da equipe e o meu ano de estreia na categoria também. Minha meta pessoal era terminar nos TOP 5, estou próximo disso e ainda tenho chances matemáticas de título
, comentou Salas.

Mas não são apenas os pilotos que têm chances matemáticas de chegar ao título da temporada. A equipe Onze Motorsports ocupa a segunda colocação na classificação por equipes, com 301 pontos, 50 a menos que a JLM Racing.

Nossas chances não são grandes em nenhuma das disputas, pois a categoria é muito competitiva e não é fácil descontar esses pontos. Mas como sempre vamos para essa etapa para dar nosso melhor. O que fizemos até aqui já mostrou a qualidade de toda a equipe e isso é muito importante em um ano de estreia
, concluiu Nonô.