NOTÍCIAS

Da Copa Petrobras à Cascavel de Ouro: Odair dos Santos e Thiago Klein vencem

24/10 de 2016 - 10:40

Dupla da Paraguay Racing comemorou conquista da 30ª edição da concorrida prova de longa duração

Odair dos Santos e Thiago Klein, competindo em dupla pela Paraguay Racing, inscreveram seus nomes na história de uma das mais tradicionais e importantes provas de longa duração do automobilismo brasileiro. Coube a Klein, bicampeão metropolitano, pilotar o carro #74 no complemento das 155 voltas para vencer neste domingo (23) a 30ª Cascavel de Ouro, no Autódromo Zilmar Beux de Cascavel em 4h01m30s241, com vantagem de 21s947 sobre o GM Celta de Gustavo Magnabosco e Davi Dal Pizzol, da Peim Competições. A terceira colocação ficou com outro Celta, de Beto Monteiro/Guilherme Salas/Daniel Kaefer, da equipe Sensei-Sorbara Motorsport.

“Mais que o troféu é o nosso nome que entra para a história, é a maior alegria que tive no esporte, um legado que deixo para meus filhos, para o filho do Thiago (Klein) que nasce amanhã. Desculpem, mas nesse momento eu não encontro as palavras”, disse Odair.

Thiago Klein estava em êxtase: “Estou mais que feliz. Estou realizado”.

Quatro representantes da Copa Petrobras de Marcas entre os três primeiros colocados: a dupla da Paraguay Racing, que compete com dois Toyota Corolla no Brasileiro, e Daniel Kaefer junto com Guilherme Salas, que correm com o Honda Civic e Renault Fluence respectivamente e já possuem vitória na temporada.

Para coroar a vitória a dupla Santos/Klein ainda aumentou sua premiação fazendo a volta mais rápida da prova, na 72ª, em 1min28s232, média de 140,720 Km, também com Klein ao volante. O outro prêmio complementar, de maior número posições conquistadas na prova, foi conquistado pelo trio do Gol número 10. Os pilotos Alexandre Seda, Francisco Júnior e Paul Lanfredi, que competiram pela equipe Motorfast, largaram na 40ª posição e chegaram em 17º.

O pole position Leandro Zandoná, companheiro de Marco Romanini na Ferrari Motorsport, manteve a frente e liderou a prova até a sétima volta, quando foi ao box trocar a bomba de combustível queimada. Voltou à pista, mas abandonou mais tarde com a quebra da embreagem. A liderança da prova foi assumida então por André Bragantini, companheiro de Galid Osman e Caíto Carvalho, no Celta da Sensei-Sorbara Motorsport, até entregar o carro para Osman na primeira parada de reabastecimento.

Osman manteve o primeiro lugar até a entrada do safety car, para retirada do Ford Fiesta de Thiago Menegaz, envolvido no acidente com o Fiesta de Luiz Fernando Pielak. Os dois primeiros colocados naquele momento, Osman e Santos, acabaram ultrapassando o carro de segurança e depois foram ultrapassados também por outros carros. O reposicionamento do grid os deixou em quinto e sétima lugares na relargada.

Ao longo das mais de quatro horas de prova vários pilotos se revezaram na liderança, entre eles Natan Sperafico, Ricardo Sperafico e Ruslan Carta Filho. O Celta do trio Bragantini/Osman/Carvalho, um dos que mais lideraram, enfrentou problemas de câmbio na 110ª volta, na tocada de Caíto Carvalho, perdendo a chance de vitória. O trio da Sensei-Sorbara Motorsport terminou a prova na 10ª posição. Um momento de tensão aconteceu a duas voltas do fim. A roda traseira esquerda do Ford Ka do toledano Miguel Laste escapou na saída da curva da vitória e correu pela pista em frente ao box.