NOTÍCIAS

Curva de alta – e ascendente

30/04 de 2015 - 17:05

Copa Petrobras de Marcas cresce em visibilidade, interação com o público e em equilíbrio na pista. Nas quatro corridas disputadas até agora, vitórias de quatro montadoras diferentes

Um campeonato multimarcas extremamente equilibrado, dentro de um grande evento, atraindo público, que interage e se identifica com as marcas. A Copa Petrobras de Marcas experimenta grande crescimento em 2015 tanto em esportividade como em visibilidade – é a conclusão do diretor geral da Vicar, Mauricio Slaviero.

Com até quatro categorias correndo por final de semana, as montadoras da Copa Petrobras de Marcas não escondem a animação com a movimentação do negócio, de acordo com Slaviero. “Elas (as montadoras) estão adorando. Mais público, mais emoção e muito mais atrativos para os convidados que elas trazem para suas áreas VIP”, destacou.

Mas não somente pelo fato de dividir o autódromo com o Circuito Schin Stock Car, o Campeonato Brasileiro de Turismo, o Mercedes-Benz Challenge e também a Fórmula 3 Brasil aumentaram o interesse na categoria. Campeonato ainda jovem, em seu quinto ano de existência, a categoria tem transmissão em TV aberta (Band) e ao vivo pela internet (Terra). 


A identificação do torcedor com os carros que ele vê na rua ou tem na garagem também pesa, na opinião de Slaviero, além das presenças de grandes nomes. “O interesse do público na Copa Petrobras de Marcas aumentou bastante por termos transmissão de TV, também por estar junto da Stock Car e muito pelas chegadas de Rubens Barrichello e Nonô Figueiredo à categoria”, apontou.


O equilíbrio da categoria é outro ponto a favor. Em quatro corridas, quatro das cinco montadoras envolvidas (Ford, Honda, Renault e Chevrolet) venceram uma cada neste ano. A Toyota se esforça para manter este rodízio e espera vencer a primeira da temporada na etapa de Curitiba, em 31 de maio. A receita da competitividade, na opinião do diretor geral da Vicar, vem de três ingredientes. “Muito trabalho na equalização dos carros, equipes muito fortes e competentes e pilotos extremamente rápidos”.


O crescimento é considerado excelente. “Comprovado pela presença do Rubens e do Nonô, do retorno da Renault ao automobilismo brasileiro – sobre o qual ficamos honrados de eles terem escolhido o Marcas para esta volta -, ressaltando a importância da categoria no cenário brasileiro”, mostrou.


“Para nós, da organização, o trabalho e acorreria são muito maiores (com várias categorias no mesmo final de semana). Por outro lado, só tenho ouvido elogios. Todo mundo está gostando. As montadoras do Marcas estão adorando, pois estão vendo um negócio muito mais movimentado, grande. O pessoal da Mercedes gostou também. Havia uma necessidade de fazer o próprio Marcas dar um up. Estamos conseguindo”, comentou Slaviero em entrevista ao site Grande Prêmio, publicada na última quarta-feira (29).
Ele diz acreditar que essa evolução deve continuar nos próximos anos, pois o esporte no Brasil vem passando por um bom momento. “O automobilismo, apesar da economia complicada e de tudo que a gente está vendo, acho que está em um momento bom no Brasil. Se não acontecer nenhuma catástrofe econômica - que aí não tem nada a ver com o trabalho que a gente faz - a tendência é continuar nessa evolução”, finalizou.