NOTÍCIAS

Carlos Souza e um retorno conservador

25/04 de 2016 - 10:20

O piloto londrinense enfrentou alguns problemas e preferiu uma pilotagem tranquila pensando nos pontos. Deu certo. Ele é o oitavo no campeonato, e com importantes 15 pontos

Carlos Souza fez sua etapa de retorno à Copa Petrobras de Marcas no Velopark e na primeira rodada dupla da temporada 2016 o piloto de Londrina conquistou um nono e um oitavo lugares. O competidor, agora na JLM Sport pilotando o Honda Civic, enfrentou alguns problemas durante os treinos livres e de lá optou pelo conservadorismo para conseguir ver a bandeira quadriculada ao final das duas provas. Deu certo: Souza saiu do Velopark com 15 pontos no bolso e a oitava colocação na tabela do campeonato, liderada por Gabriel Casagrande e Nonô Figueiredo. As vitórias foram de Vicente Orige e Thiago Marques.

“Foi um final de semana bastante complicado, tivemos problemas de freios, quebra de suspensão, rádio, motor, e a equipe trabalhou duro para que eu conseguisse ir ao grid na segunda prova, estão todos de parabéns”, destacou Souza, que retorna à categoria depois de um ano ausente. 

O piloto lamentou muito o problema de comunicação no final do sábado. “Eu tentei contar mentalmente para saber que posição eu ocupava na prova, e acelerava achando que estava em décimo primeiro ou décimo segundo, quando na verdade eu era oitavo, e nessa de tentar manter a vantagem para os pilotos que vinham atrás de mim e alcançar o pelotão da frente acabei escapando no “S” de alta e quebrei a suspensão e motor, cruzei a linha na nona colocação praticamente me arrastando”, relembra SG, que complementou: “Se largo da primeira posição do grid no domingo a história seria bem diferente. Esse foi o maior prejuízo daquele final de semana, infelizmente”.

Durante a prova deste domingo o competidor da JLM Sport andou o tempo todo atrás de seu companheiro de equipe, Vicente Orige, que por sua vez tinha um outro Honda a sua frente, da equipe coirmã. “Tínhamos um bom ritmo de prova e condições reais de brigar por posições mais a frente”.

As últimas oito voltas da prova foram um verdadeiro desafio para o londrinense. “O meu motor falhava, e em alguns pontos que normalmente fazemos em segunda marcha, eu tinha que engatar a primeira marcha, e a pressão foi grande, hora um Renault, hora um Ford, eles eram visivelmente mais rápidos do que nós três, e tive comigo que se eu não conseguisse segurá-los eles ganhariam não só a minha posição como a dos outros dois carros da equipe que iam logo à minha frente”, lembra. De fato, os dois pilotos que conseguiam pressioná-lo nestas voltas levavam vantagem no cronômetro em relação ao trio de pilotos da Honda.

Carlos Souza deixa o Velopark na oitava colocação do campeonato e com 15 pontos conquistados. Seu companheiro de equipe Vicente Orige ocupa a terceira posição do campeonato com 31 pontos, um a menos que os líderes, Gabriel Casagrande e Nonô Figueiredo. “Tenho um bom retrospecto em Goiânia, gosto muito do traçado e meu lastro é o menor dos oito primeiros, isso me faz acreditar que teremos uma boa condição de disputar por melhores posições. Até lá, teremos tempo de ajustar e corrigir o que for preciso, sigo com plena confiança de que estou no lugar certo e na hora certa”, concluiu.