NOTÍCIAS

A dupla jornada de Casagrande

16/05 de 2016 - 11:15

Correndo na Stock Car e na Copa Petrobras de Marcas, piloto aponta diferenças entre os dois carros

Existem pilotos que fazem jornadas duplas em algumas etapas. Um bom exemplo é Gabriel Casagrande, que desde o ano de 2015 compete simultaneamente na Copa Petrobras de Marcas e na Stock Car e quando o final de semana tem as duas categorias, o jeito é descansar e se concentrar.

No entanto, diferente do que muitas pessoas podem pensar, o piloto revelou que não existem diferenças discrepantes entre os dois carros. Para ele, vale a pena ressaltar apenas duas: a tração e a potência de cada um, que acaba mudando.

“A gente tem um carro mais leve com tração dianteira, que é o Brasileiro de Marcas contra um carro mais pesado e de tração traseira que é o Stock Car. Além dessa diferença é a potência, que também muda, temos quase 200 cavalos de diferença um para o outro. Nisso eles são diferentes”, comentou o competidor, que em ambas as categorias corre pela C2 Team – no Marcas ele defende a Renault e lidera a tabela do campeonato, tendo sido, em 2015, o maior vencedor da temporada.

Casagrande ainda revelou que precisa se adaptar ao modo de pilotagem de cada carro, e que cada vez que muda, é necessário também ‘virar uma chavinha’ em sua cabeça. “Confesso que tenho que trocar o chip quando vai de um carro para o outro, virar a chavinha, mas eu estou tirando de letra, ano passado foi legal, foi bom”, afirmou.

“Um pouco cansativo, mas está sendo legal. De diferença mesmo é isso. A forma de pilotar acaba mudando em cada carro, claro”, completou o paranaense, que na abertura da temporada em Curitiba competiu na Stock Car e fez a rodada dupla do Campeonato Brasileiro de Turismo – vencendo as duas corridas da categoria de acesso. Sucesso que lhe fez considerar competir em três categorias na etapa seguinte, no Velopark, ideia que acabou sendo vetada para manter sua concentração apenas na Stock Car e na Copa Petrobras de Marcas.

No entanto, mesmo com a carga de correr até quatro corridas em um só final de semana, ele adora o desafio. “O corpo está preparado, a mente está preparada, então cada vez que troco de um para o outro sei que vou aguentar”, encerrou.