HISTÓRIA

2011 - Começo empolgante

Piloto campeão de 2011

Thiago Camilo #21
Carlos Alves Competições

Montadora campeã de 2011

Chevrolet

O automobilismo brasileiro teve mais uma página escrita em 2011, com o surgimento da Copa Petrobras de Marcas. Em seu primeiro ano, a categoria foi disputada em 8 rodadas duplas, totalizando 16 corridas.

O grid de largada da prova inaugural, disputada dia 19 de junho no Autódromo de Tarumã, em Viamão-RS, teve 20 pilotos, que utilizaram os modelos oficiais do campeonato: Chevrolet Astra, Ford Focus e Honda Civic. Houve ainda a participação de carros Toyota Corolla, porém sem a chancela oficial.

Valdeno Brito, da equipe Mico’s Racing, liderou todos os treinos, fez a pole e venceu a primeira corrida, enquanto Thiago Camilo - que foi o campeão da temporada -, representando a equipe Carlos Alves Competições, e a bordo do Chevrolet Astra #21, venceu a segunda prova. O Campeonato de Equipes ficou com a Full Time, enquanto a Chevrolet faturou o título entre as montadoras.

2012 - Ano da regularidade

Piloto campeão de 2012

Ricardo Maurício #90
Full Time

Montadora campeã de 2012

Toyota

Após o sucesso da primeira temporada, a Copa Petrobras de Marcas alcançou o número de cinco montadoras participando da categoria - todas com fábricas no Brasil: Chevrolet, Toyota, Honda, Mitsubishi e Ford.

Após liderar o campeonato na base da regularidade, e com uma expressiva soma de pontos, o piloto Ricardo Maurício fechou 2012 como o campeão do segundo ano da categoria.

Apesar de não ter vencido nenhuma corrida, Ricardinho esteve presente em dez pódios das dezesseis corridas que aconteceram durante o ano, e ajudou a Full Time a conquistar o título entre as equipes. Já a disputa entre as marcas foi vencida pela Toyota.

2013 - Dono do campeonato

Piloto campeão de 2013

Ricardo Maurício #90
JLM

Montadora campeã de 2013

Honda

A alta competitividade, marca registrada no Campeonato Brasileiro de Marcas, se manteve ao longo da temporada de 2013. O troféu de campeão entre os pilotos, entretanto, teve como destino a mesma estante de títulos de 2012: Ricardo Maurício, a bordo do Honda Civic #90, conquistou 4 vitórias ao longo das 8 etapas e sagrou-se bicampeão.

Entre as montadoras, a Honda venceu pela primeira vez o campeonato, enquanto a equipe JLM, chefiada por Juliano Moro, e que tinha no comando dos carros Ricardo Maurício e Vicente Orige, conquistou o título.

2014 - Muita disputa

Piloto campeão de 2014

Ricardo Maurício #90
JLM

Montadora campeã de 2014

Toyota

Ricardo Maurício continuou na JLM e com o Honda Civic disposto a enfrentar um pelotão de pilotos de altíssima qualidade para buscar o tricampeonato. Com duas pole positions e três vitórias, além de ser presença constante no pódio, Ricardinho alcançou seu objetivo ao somar 221 pontos, apenas três à frente de seu companheiro de equipe Vicente Orige.

A Toyota foi a grande campeã entre as montadoras ao somar 568 pontos (11 a mais que a Honda) e ainda teve Allam Khodair na terceira posição do campeonato de pilotos.

2015 - O campeão poupador

Piloto campeão de 2015

Vitor Meira #03
JLM Racing

Montadora campeã de 2015

Honda

A temporada da Copa Petrobras de Marcas começou com várias novidades: a volta da Renault às competições brasileiras, trazendo o Renault Fluence, bem como as estreias de Rubens Barrichello e Nonô Figueiredo – este último como piloto e chefe de equipe.

O ano teve gratas surpresas, como os  jovens Guilherme Salas e Rodrigo Baptista, além de grandes desempenhos de Gabriel Casagrande, Fábio Carbone, Vicente Orige e Thiago Marques.

Na JLM Racing a novidade era a entrada de Vitor Meira no lugar do tricampeão Ricardo Maurício. Piloto que vinha de um longo relacionamento com a Honda desde a época em que competia na Fórmula 3 passando por seus dez anos na Fórmula Indy – sempre impulsionado pelos motores japoneses – o entrosamento do brasiliense com os japoneses foi instantâneo.

Com uma pole position, quatro segundos lugares, três terceiros e três quintos, Vitor Meira agiu como economista em tempos de crise e soube guardar pontos na poupança, manteve-se longe de problemas – não abandonou nenhuma corrida – e conquistou seu primeiro título na categoria, dando à Honda mais um título entre as montadoras.